Aécio, Dilma e a defesa das mulheres

A presidente Dilma, primeira mulher presidente do Brasil deveria ser uma grande defensora dos direitos das mulheres, mas as posturas recentes da presidente nos leva a crer no contrario, nas ultimas semanas um dos principais assuntos no Brasil era a visita de Yoani Sánchez, dissidente do regime ditatorial cubano e que veio ao Brasil falar sobre liberdade de expressão, a blogueira cubana foi covardemente atacada em várias cidades por onde passou, tendo que se retirar as pressas de muitos locais em vários atentados a sua liberdade de ir e vir e principalmente, em um país que sofreu 25 anos com um regime militar e com sua censura, a blogueira sofreu um grave atentado a sua liberdade de se expressar. Nesse caso que chocou todo o país e foi destaque em toda a imprensa nacional.

O que se esperava neste momento? Esperava-se que a Presidente (que lutou contra o regime militar e chegou a ser presa), recebesse Yoani Sánchez, e desse um recado claro de que concordando ou não com as palavras da cubana, defenderia sempre o seu direito de se expressar, Dilma disse em 2010 que preferia “mil vezes a multidão de vozes críticas do que o silêncio das ditaduras”, mas quando teve a oportunidade real de provar o que dizia, a Presidente se calou, a Presidente avalizou a repressão que acontecerá e pior do que isso, repressão feita por militantes do próprio partido da Presidente. Dilma não se posicionou num grave atentado a liberdade e mais importante ainda, a PRIMEIRA mulher eleita presidente do Brasil se calou em um caso de uma covarde agressão a uma mulher.

O Brasil que nas ultimas duas decadas teve uma real política de valorização da mulher na sociedade, em que durante a presidencia de Fernando Henrique Cardoso (em 1995 o Conselho Nacional dos Direitos da Mulher foi reativado e posteriormente foi criada a Secretaria de Estado de Direitos da Mulher) e de Lula (criou a Secretaria Especial de Política para Mulheres) as mulheres ganharam espaço no debate das políticas publicas, quando Dilma se cala contra uma grave e covarde agressão a uma mulher, ela joga no lixo todo o trabalho feito nas ultimas decadas para a valorização da mulher brasileira.

Outra atitude recente da presidente que nos leva a questionar se ela realmente se importa com as mulheres brasileiras, foi o veto ao imposto zero na cesta básica. No nosso país, em um numero cada vez maior de lares, a mulher é quem cuida das despesas domesticas – de acordo com artigo do Senador Aécio Neves publicado na Folha de SP, já são 22 milhões de lares chefiados por mulheres – e nos lares onde a mulher não é a chefe da família, normalmente é ela quem cuida das despesas básicas como compra da alimentação, portanto a mulher brasileira foi diretamente atingida pelo veto da presidente, quando Dilma vetou o imposto zero na cesta básico, ela não vetou somente a redução de impostos, o que Dilma vetou foi a dignidade da população mais carente de nosso país – o mesmo povo que ela “vai tirar da miséria” – o que Dilma vetou foi a dignidade da mulher brasileira, que trabalha, da mulher que cuida de seu lar, da mulher que faz milagre para cuidar e alimentar os seus filhos e sua família.

Graças ao controle inflacionário e a valorização real do salario minimo iniciado pelo Presidente Fernando Henrique, o poder de compra da população cresceu muito nas ultimas 2 décadas, mas com o presidente FHC cresceu mais, pois de 1995 a 2002 , considerando o valor da cesta básica, o poder de compra do salário minimo aumentou 43,5%, com Lula de 2003 a 2010, o aumento foi de 27,7%, com Dilma de 2011 a 2013 o aumento foi de apenas 18,64%, ou seja, nos últimos 18 anos, Dilma foi quem menos conseguiu trazer benefícios reais a população, Dilma foi quem menos deu poder de compra ao brasileiro, penalizando diretamente as donas de casa, a grande chance da Presidente de virar esse jogo, com a desoneração da cesta básica foi perdida e até hoje não existe nenhuma explicação convincente do porque.

Por outro lado, o líder da oposição, Senador Aécio Neves defendeu de forma firme a blogueira Yoani Sánchez, inclusive recebendo-a no Congresso Nacional e ajudando na divulgação das ações da blogueira. Quanto a cesta básica, o projeto do imposto zero foi criado pelo partido de Aécio, o PSDB e foi desde sempre defendido pelo Senador de Minas, Aécio inclusive já havia criado o imposto zero para a cesta básica em Minas Gerais, enquanto Governador do Estado.

E desde esta época em que esteve a frente do governo do estado de Minas, o Senador Aécio Neves foi um incansável defensor das mulheres, muitos projetos sociais resultantes do choque de gestão do governo do estado de MG buscaram a igualdade integral para as mulheres mineiras,  ou seja, como Governador de Minas Gerais Aécio Neves sempre deu voz as mulheres.

Comparando as ações de Aécio e de Dilma referente a Yoani Sánchez e o Imposto Zero na cesta básica, fica claro que o Senador Aécio Neves extrapola a função de um senador, ele age como grande líder da oposição. Aécio pensa o Brasil, pensa o que é bom para o Brasil e para os brasileiros, ao defender as mulheres, ele defende a nossa nação.

Por outro lado, pensando sempre na eleição para presidente do Brasil em 2014, Dilma se esquece de ser humana, se esquece de ser mulher, se esquece da liberdade pela qual ela lutou e foi presa, se esquece de governar e pensar o Brasil e os Brasileiros.

Fonte: Blog do Cançado

Anúncios
Nota | Esse post foi publicado em Política Brasil. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s